• Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
Mapa do Ruído do concelho de Pedrógão grande

     O «Regulamento Geral do Ruído» (RGR), Decreto-lei n.º 9/2007, de 17 de Janeiro, determina que na execução da política de ordenamento do território e urbanismo deve ser assegurada a qualidade do ambiente sonoro na habitação, trabalho e lazer.

     Sucintamente, pretende-se que este propósito seja atingido por meio de um planeamento acústico adequado dos espaços concelhios, num misto de prevenção e de protecção/controlo do ruído e deve efectivar-se, designadamente, na delimitação de zonas onde os níveis de ruído não devem exceder patamares de admissibilidade.

     Segundo os princípios preconizados pelo RGR, este zonamento deve ser delineado em função do uso do solo, actual e/ou programado, e carece de enquadramento através daquilo a que se pode considerar a caracterização acústica da situação de referência, na forma de Mapas de Ruído.

     Impende sobre as Câmaras Municipais a responsabilidade de definir as tipologias de zonas previstas no RGR, devendo estas ser disciplinadas e incorporadas nos planos municipais de ordenamento do território, assim como executar as recolhas de dados acústicos indispensáveis à sustentação do zonamento acústico.

     Neste trabalho elaborou-se os Mapeamentos de Ruído do Concelho de Pedrógão Grande, à escala de Plano Director Municipal.

     Os Mapas de Ruído constituem uma ferramenta ímpar para prever e visualizar espacialmente os níveis sonoros de uma dada área, onde, nomeadamente, se identificam e catalogam fontes ruidosas e receptores expostos.

     Os Mapas de Ruído resultantes descrevem detalhadamente a distribuição espacial dos níveis de ruído ambiente exterior da área estudada.

     Actualmente, estes trabalhos são preferencialmente efectuados recorrendo a programas computacionais de modelação da emissão e propagação sonora a partir de um conjunto diversificado de informações de base. Estes dados de base podem ser teóricos ou obtidos por técnica de medição. Em qualquer caso, e por motivos de consistência técnica, as medições são indispensáveis para preencher lacunas de informação e por forma validar adequadamente os cenários gerados por modelação matemática.

     Desta forma, os Mapeamentos Acústicos foram obtidos por técnica “mista” – partiu-se de dados de base teóricos, geraram-se os campos sonoros associados e procederam-se às calibrações/ajustes necessários à obtenção de Mapas de Ruído finais que reflectissem os resultados obtidos nas medições.

     São resumidamente descritos aspectos relacionados com a metodologia de execução do trabalho, o enquadramento legislativo e normativo aplicável, os resultados obtidos, assim como uma abordagem às implicações técnicas e legais decorrentes dos dados acústicos recolhidos, designadamente no que se refere aos constrangimentos de zonamento acústico e à eventual necessidade de elaboração de Planos de Redução de Ruído.