• Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
Pedrógão Grande expõe junto do Ministro da Cultura a sua preocupação perante a transposição para lei do extermínio do achigã

Transposição para lei do extermínio do achigã e outras espécies em Portugal

Autarca Pedroguense transmite e leva ao conhecimento do Ministro da Cultura a sua preocupação e de toda uma região

O Presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, levou ao conhecimento do Senhor Ministro da Cultura, Dr. Luís Filipe de Castro Mendes a sua preocupação perante a revisão do Decreto-Lei 565/99 de 21 de dezembro, a qual poderá prever o extermínio em Portugal de espécies como o achigã, peixe bastante comum nas águas das albufeiras do Concelho de Pedrógão Grande e parte integrante da sua matriz cultural.

O Autarca Pedroguense transmitiu esta preocupação ao Governante durante uma audiência no seu gabinete do Palácio da Ajuda em Lisboa, que tinha como ponto em agenda a discussão da situação atual de degradação da Igreja de Nossa Senhora da Assunção, mas que o Autarca Pedroguense conseguiu deixar em reflexão.

Pese embora esta situação esteja sobre a alçada do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Valdemar Alves alertou para o facto de a cultura de muitas regiões do país, mas particularmente de Pedrógão Grande, terem adotado ao longo do séc. XX o achigã, introduzido em 1898 em Portugal. Atualmente, esta é uma espécie que podemos considerar como naturalizada, ou seja, inserida no contexto natural português sem ter infligido danos no ecossistema. E assim, passou a integrar a gastronomia e várias atividades habituais e comuns da população no seu dia-a-dia. O achigã está enraizado na cultura, mas também é um factor de diversas atividades turísticas e desportivas que dinamizam Pedrógão Grande, sobretudo os diversos torneios inseridos em competições locais, campeonatos nacionais e taças internacionais, que atraem centenas de equipas portuguesas e estrangeiras à Albufeira do Cabril em Pedrógão Grande, a terceira maior de Portugal.

Embora este tema não constasse da ordem de trabalhos agendada para a audiência, Luís Filipe de Castro Mendes acolheu o facto de esta questão ter sido trazida ao conhecimento do Ministério da Cultura, porque embora seja uma questão tutelada pelo Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, também poderão existir considerandos culturais relevantes para as populações e fatores de competitividade turística que poderão contribuir positivamente para um mais aprofundado debate em torno da revisão do Decreto-Lei 565/99 de 21 de Dezembro, que poderá prever o extermínio em Portugal de espécies como o achigã.